Plataformas Tecnológicas Europeias

As Plataformas Tecnológicas Europeias têm por objetivo elaborar estratégias para os domínios nos quais o crescimento, a competitividade e a sustentabilidade futuros dependem de avanços tecnológicos decisivos. Estas plataformas reúnem todos os atores relevantes de determinada área, sob liderança da indústria, para definir os objetivos de investigação e de desenvolvimento tecnológico a médio e longo prazo e estabelecer as diretrizes para a sua concretização. As Plataformas Tecnológicas Europeias tentam igualmente contribuir para uma melhor articulação entre as prioridades de investigação da União Europeia e as necessidades da indústria. 

As Plataformas Tecnológicas com maior relevância no setor das TIC são: 

Sistemas Integrados - ARTEMIS

Espera-se fundadamente, na UE, que a percentagem do valor dos componentes eletrónicos incorporados no valor do produto final aumente significativamente em áreas como a Automação Industrial, Telecomunicações, Produtos Eletrónicos de Consumo e Casas Inteligentes e Equipamento de Saúde/Médico.

O relatório ‘ITEA Artemis-IA High Level Vision 2030 – Opportunities for Europe” cunhou o termo “Tecnologia Digital” de forma a englobar os conceitos de hardware, software, serviços de TI, TI interna e software incorporado. Recomenda-se uma abordagem equilibrada à inovação em matéria de eletrónica e software, refletindo a distribuição de emprego no âmbito da Tecnologia Digital.  

Mais informação aqui.

Robótica - EUROP

A EUROP, é uma estrutura orientada para a indústria concebida para que as partes interessadas na área da robótica reforcem a competitividade da Europa na área da I&D, bem como nos mercados globais e para que melhorem a qualidade de vida. 

A Plataforma Tecnológica Europeia de robótica visa mobilizar todos as partes interessadas neste domínio, incluindo a indústria de robótica, investigadores e investidores públicos e privados, a fim de manter a posição de liderança da Europa na robótica industrial e a alargá-la a novas aplicações (serviços profissionais, serviços domésticos, segurança e robótica espacial).

A agenda estratégica de investigação coloca a tónica nas seguintes aplicações: robots de trabalho, de logística, de investigação e vigilância, exploração e inspeção e robots de “eduentretenimento”. Encontra-se em processo de revisão no âmbito da EURobotics AISBL, organização que surgiu em Setembro de 2013. 

Mais informação aqui.

Computação de Alto Desempenho - ETP 4 HPC

Reconhece-se, na UE, que a Computação de Alto Desempenho é um elemento essencial para a ciência, tecnologia e negócios. Os progressos efetuados nesta área têm benefícios diretos e mensuráveis que abordam grandes desafios societais, melhoram as economias nacionais e aumentam a competitividade global. 

O Documento Prospetivo desenvolvido no âmbito da plataforma recomenda dar prioridade à investigação nas seguintes tecnologias inovadoras: evolução na arquitetura; computação de alto desempenho (HPC) com enfoque na energia; Extreme parallelism (desenvolvimento simultâneo de hardware, software e capacidade de armazenamento); paradigmas de programação, algoritmos, bibliotecas e compiladores HPC; Resiliência; software de sistema; desenvolvimento I/O e armazenamento com processamento; novas soluções de armazenamento para big data; evolução dos volumes de trabalho HPC.

Mais informação aqui.

Software e Serviços - NESSI
A NESSI é uma Plataforma Tecnológica Europeia com atuação no domínio das Tecnologias de Informação e Comunicação contribuindo para a investigação e inovação em matéria de software e serviços.

O Mercado de serviços TI está mudar de forma radicalmente devido à seguinte série de desafios:
 
  • Um ritmo de mudança cada vez mais rápido devido à globalização e à inovação tecnológica;
  • Uma transição contínua para soluções cada vez mais personalizadas;
  • Uma mudança importante para sistemas críticos que funcionam 24/24;
  • Novas necessidades dos utilizadores finais;
  • A emergência do software de código aberto.
 
Também a plataforma NESSI tem vindo a prestar uma atenção especial ao “Big Data”. Nesse sentido, em 2013, lançou um novo website dedicado à iniciativa bigdatavalue.eu. O propósito deste website é ser uma plataforma onde os principais atores da cadeia de valor do big data possam trocar ideias e discutir os desafios e oportunidades relacionados com esta temática.
 
Lançou também um manifesto com o objetivo de apelar à atuação das organizações públicas e privadas da Europa no sentido de criar uma iniciativa conduzida pela indústria que poderá ajudar a estruturar e a coordenar os esforços destinados a construir a base de um ecossistema que coloque a Europa na vanguarda através de inovações no domínio do Big Data.
 
Mais informação aqui.
Nano Electrónica - ENIAC
Prevê-se que a mudança para dispositivos à escala nanométrica, a chamada nano eletrónica, continue a revolucionar aplicações, exigindo, todavia, um investimento cada vez mais avultado em investigação e produção para manter a sua competitividade.
 
No documento “visão, missão e estratégia” as grandes prioridades definidas foram:
 
  • Fornecer soluções inovadoras e sustentáveis para os desafios societais em áreas como a energia, mobilidade, saúde e segurança; 
  • Fortalecer as secções da cadeia de valor nas quais a Europa pode ganhar competitividade mundial e assegurar novos segmentos do mercado através da diferenciação;
  • Possibilitar um nível adequado de capacidade de fabrico avançado de CMOS (semicondutor metal-óxido complementar) na Europa; 
  • Promover o desenvolvimento de locais de produção europeus no âmbito do programa More-than-Moore e de fundições europeias nas mais avançadas áreas do mercado.
 
Mais informação aqui.
A Iniciativa NEM

A Iniciativa NEM visa construir uma liderança europeia sustentável na produção de conteúdos e tecnologias de estabelecimento de redes.

Tem por objetivo promover uma abordagem europeia inovadora à convergência dos media e das telecomunicações para a Future Media Internet.

“Big and Open Data” é um dos temas mais controversos a nível europeu na área das TIC. Isto, juntamente com o facto de se tratar do relatório surgido mais recentemente no âmbito da iniciativa, leva a que aborde, abaixo, essa matéria.

No relatório podem identificar-se dois tipos de conclusões: aquelas que têm que ver com especificidades de caráter mais técnico e aquelas que têm que ver com desafios societais.

 

Especificidades de caráter técnico

O relatório conclui que, no que concerne a gestão de dados e a sua análise, existe a necessidade de uma gestão de dados e infraestrutura de análise flexível e fiável, determinando-se certas caraterísticas específicas para o efeito.

 

Desafios Societais

Recomenda-se o desenvolvimento de novos métodos de análise de dados mais acessíveis, bem como mais open data/dados de acesso livre com vista a obter um elevado impacto societal dotando a indústria e a academia de capacidades de aplicação do big data no domínio das ciências sociais, apoiando a renovação científica;

No que concerne os aspetos relacionados com a privacidade, considerou-se existir uma enorme necessidade de desenvolvimento de ferramentas adequadas a qualquer utilizador (utilizadores finais ou organizações) para retirar de forma exaustiva quaisquer dados armazenados na nuvem/cloud (centros de dados). 

Relativamente ao Open data, aponta-se que vários estudos societais terão que se realizados de forma a criar um ambiente consistente. O Open data deve ser proveniente de diferentes fontes tais como dados públicos, pessoais e empresariais. De acordo com o relatório, estes três setores têm de ser estudados de forma a encontrar pontos em comum e especificidades do ponto de vista social. Além destes, o open data deve ter origem em dados estatísticos e dados obtidos em tempo real. Considera-se, então, que deve ser dada prioridade à investigação destas matérias.  

 

Mais informação aqui.

Integração de Sistemas Inteligentes - EPoSS
A estratégia Europeia da competitividade das gerações futuras de produtos passa pela utilização de sistemas integrados inteligentes, que utilizem a convergência de uma série de tecnologias que melhoram globalmente as características do produto nos quais estão incorporados.  
 
Neste contexto, a capacidade de miniaturização e integração de inteligência e novas funcionalidades em componentes e materiais convencionais, bem como novos, a um custo competitivo, juntamente com a globalização dos mercados e o ritmo cada vez mais rápido da mudança tecnológica, estão entre os desafios mais ambiciosos enfrentados pela indústria europeia.
 
Do relatório “Towards a vision of innovative smart systems integration”, destacam-se as seguintes temáticas: 
 
Objetivos da Plataforma Tecnológica Europeia sobre a Integração de Sistemas Inteligentes
 
Os desenvolvimentos realizados no âmbito da integração de sistemas inteligentes vão continuar a precisar de investimentos significativos em recursos humanos, infraestruturas de pesquisa, equipamentos e conhecimento e beneficiariam de uma abordagem estratégica, uma visão comum e uma agenda de investigação comum.
 
A Plataforma Tecnológica Europeia é considerada como o instrumento predileto para levar adiante esta abordagem estratégica.
 
O principal objetivo será, portanto, o de mobilizar uma massa crítica sustentável no Espaço Europeu de Investigação (ERA), que irá concentrar esforços estruturados comuns no seminal domínio tecnológico de integração de Sistemas Inteligentes.
 
Definiu-se que a plataforma Tecnológica Europeia sobre a Integração de Sistemas Inteligentes deve abordar as seguintes questões, a fim de obter melhorias estruturais significativas: 
 
  • Entender a visão centrada em sistemas do mundo de amanhã. 
  • Aproveitamento, exploração e utilização das capacidades atuais (técnicas e intelectuais). 
  • Melhorar a competência europeia na gestão do conhecimento e gestão de meta dados. 
  • O estabelecimento de cenários para a evolução atual do produto/tecnologia (hardware e software), assim como para aplicações futuras.
  • Traduzir a visão de Sistemas Inteligentes Integrados e cenários de produto/tecnologia em agendas de investigação comuns.  
  • Novas tecnologias de integração, novos materiais, novas tecnologias de embalagem para integração de sistemas, testes, design, etc., como base para novos produtos e métodos de produção. 
  • Problemas de fabrico para a indústria europeia: conceção e conceitos de fundição para microssistemas, bem como processos de nano-partículas e questões de embalagem ou back-end, incluindo equipamentos para o fabrico de MNT, metrologia e caracterização. 
  • Acesso "aberto" compartilhado a excelentes, embora dispersas, estruturas de investigação: estratégia europeia para a gestão da infraestrutura de pesquisa distribuída.  
  • A normalização dos processos, interfaces e ferramentas. 
  • Implementação da Proteção dos Direitos de Propriedade Intelectual   
  • Desenvolvimento de recursos multidisciplinares humanos, competências e mobilidade flexível na Europa 
  • Redução das barreiras entre novos e antigos Estados-Membros e países candidatos à UE e melhorar a coordenação, comunicação e informação.  
  • Ecossistemas de Investigação e Inovação - sistemas integrados inteligentes emergentes e/ou tecnologias de integração de sistemas inteligentes.  
  • Maior consciencialização pública, aceitação e adesão.
  • Preparação contra mudanças tecnológicas perturbadoras e promoção da concorrência e comercialização dos resultados da investigação, considerando o papel das PME na cadeia de abastecimento.
 
 
Mais informação aqui.
Satélites - ISI
A Agenda ISI sobre Investigação Estratégica e Inovação identifica novas iniciativas de I&D que serão promovidas e apoiadas por entidades públicas, tais como:
 
  • SatComs (comunicações via satélite) de acesso de banda larga de altíssima velocidade em conjunção com redes wireless e em fibra.  
  • SatComs reconfiguráveis, resilientes e com conetividade de banda larga segura para suportar as necessidades de telecomunicação profissionais e institucionais (por exemplo, redes de comunicação privadas, redes de retorno, conectividade Backbone, segurança pública). 
  • Integração/hibridação de SatComs futuras com redes terrestres futuras com vista a atingir o objetivo de uma economia sustentável e eficiente. 
  • Serviços de transmissão avançados, que suportem de forma eficiente a qualidade de vídeo escalável (3D/HDTV/SDTV), mobilidade e conectividade.
 
 
Os objetivos consistem em, nomeadamente, procurar soluções melhoradas para as Comunicações via Satélite nos seguintes aspetos: 
 
  • Taxa de serviço inferior, transmissão de dados mais alta. 
  • Configuração fácil e operação de terminais energeticamente eficientes. 
  • Plataforma aberta que possibilite uma interoperabilidade perfeita do serviço com redes terrestres futuras. 
  • Resiliência, segurança e flexibilidade. 
 
 
Mais infornmação aqui.
Comunicações Móveis - Net!Works
Existe uma grande oportunidade para aumentar a mobilidade da acessibilidade à Internet, permitindo aos cidadãos transportar eficazmente consigo o poder da Internet para qualquer lugar e em qualquer momento. 
 
No entanto, o setor enfrenta, nos próximos anos, desafios importantes para manter a sua liderança, incluindo o aumento do investimento em I&D noutras regiões, a mudança de comportamento e expectativas dos utilizadores e as relações pouco desenvolvidas entre a política industrial e a I&D.
 
A Décima edição da agenda de investigação estratégica, coeditada por Luís Correia da Universidade Técnica de Lisboa, recomenda um conjunto de tópicos prioritários. Destacam-se pela sua importância, numa lógica exemplificativa os seguintes:
 
  • Exploração de melhorias significativas das redes wireless.
  • Novas tecnologias de rádio no âmbito dos sistemas 5G.
  • A integração completa entre a radiodifusão móvel e as comunicações de banda larga móvel.
  • Convergência de redes wireless e óticas.
  • Um repensar fundamental sobre o que constitui um router ótico e as suas arquiteturas.
  • Iniciar a atividade de definição, especificação e desenvolvimento de redes de emergência.
  • Criação de mecanismos automatizados de coordenação entre a rede, os centros de dados e domínios dos serviços.
 
 
Mais informação aqui.
Fotónica - Photonics21
A Photonics21 foi criada como uma plataforma orientada para a indústria por forma a unificar a comunidade europeia no campo da fotónica. 
 
Atualmente, a plataforma tem mais de 1.700 representantes da indústria e da academia de toda a Europa. As empresas líderes e as instituições de investigação juntaram-se para avançar ainda mais a posição da Europa no domínio das tecnologias óticas. Em setembro de 2009, a Comissão Europeia reconheceu a importância da fotónica, identificando-a como uma tecnologia capacitadora fundamental para a Europa. 
 
Em Janeiro de 2010 foi publicada a segunda agenda estratégica de investigação Photonics21, sob o título “Lighting the way ahead” que define as prioridades de investigação e a estratégia futura no domínio da fotónica. A recente publicação "Photonics  –  Our Vision for a Key Enabling Technology" aborda a contribuição prestada pela fotónica - e a que prestará ao longo dos próximos dez anos - para os desafios societais chave da Europa. 
 
Alguns dos principais benefícios que decorrem da potencialidade da tecnologia abordada são: 
 
  • O desenvolvimento da infraestrutura futura da internet com uma capacidade multi-terabit.
  • Novos processos de fabrico com qualidade extraordinária que permitirão a massificação da personalização e uma produção sem falhas. 
  • Novas abordagens radicais aos cuidados de saúde, passando da atual abordagem de custo elevado, de tratamento após o aparecimento da doença, para a deteção e prevenção da doença o mais cedo possível.
  • A transição da tecnologia tradicional em matéria de iluminação para baixos consumos de energia, tecnologia digital, construída em torno de LED, OLED, sensores e inteligência baseada em microprocessadores.
  • A deteção e captação de imagens via fotónica contribuirá para um ambiente mais ecológico através da deteção avançada de poluição e permitindo níveis mais elevados de proteção e segurança.
 
 
Mais informação aqui.